O projeto foi criado por mim Luiza Tojer, 37 anos, hoje residindo em São Paulo, Brasil.

Sou fotógrafa  e morei na cidade de Nova York nos últimos 5 anos e meio.

 

Esse projeto foi criado com o intuito de mostrar qual é a perspectiva que uma mulher que sofre a violência gênero tem sobre a sociedade e que como um todo que nos silencia,  e a falta que a sociedade tem de um olhar  mais verdadeiro e humano.

Percebi que com o desenvolvimento desse projeto eu poderia ensinar ao mundo e as pessoas que estão a nossa volta melhores formas de agir e ser como sociedade diante de uma realidade tão comum que é a violência de gênero, mas tão silenciada ao mesmo tempo. 

 

Então convidei 4 mulheres ( mais eu ), que hoje residem na Cidade de Nova York que por algum momento da vida passaram por  algum  ou mais dos diversos tipos de violência de gênero para compartilharem um pouco de suas experiências e quais os caminhos que elas seguiram.

Acompanhada de uma sessão de fotos.

 

Como fotógrafa  sei a capacidade que a fotografia tem de mudar o ponto de vista das pessoas, uma maneira de se enxergar e se fazer enxergar. 

 Como forma de expressar e mostrar tanto para elas como para todos nós mulheres que sofremos com a violência de gênero que somos muito fortes e capazes de sobreviver a essas violências e mesmo assim continuar a viver , realizar sonhos e seguir em frente, retratando toda o poder e beleza que habita nelas.

 

Mostrando para outras mulheres que já passaram ou passam por qualquer tipo de violência que SIM somos capazes de superar e SIM podemos dar uma chance e quantas  chances forem necessárias para nós mesmas e que merecemos uma vida de qualidade e com respeito.

E que acima de tudo não,  não devemos ficar caladas e aceitar que uma violência sofrida contra nós tenha a capacidade de nos silenciar e nos destruir, mas apenas de nos fazer mais forte.

A CULPA NÃO É NOSSA! 

Não somos "coitadas" e sim MULHERES EXTREMAMENTE FORTES .

 

O projeto foi 100 % criado remotamente.

Para entender , saber e poder contar a história dessas mulheres foram gravadas as conversas "entrevistas" entre eu, Luiza,  e as mulheres. Os ensaios fotográficos também foram  online utilizando o recurso do FaceTime.

 Por dois motivos, eu tinha acabado de voltar para o Brasil  quando foi tomada a decisão de realizar o projeto e o projeto foi desenvolvido durante o período de Junho a Novembro de 2020, onde o COVID-19 tem afetado todo o mundo e nos colocando em isolamento social. 

Por isso assim como a conversa e o ensaio foi realizado dentro de nossas casas imprimindo bastante a personalidade de cada mulher. 
Nicole Batista umas das mulheres neste projeto foi a responsável pelo meu ensaio fotográfico. 

E pra mim:
" O amor tem a capacidade de mudar mundo".